ESPINHEIRA-SANTA

ESPINHEIRA-SANTA – Maytenus ilicifolia – Celastraceae

Categorias: ,

Descrição

A espinheira-santa é uma espécie arbustiva sub-tropical, nativa da América do Sul, sobretudo do sul do Brasil, ocorrendo nas beiradas de matas de araucária, sub-bosques, capões, à beira de rios e em matas ciliares. Em Santa Catarina é encontrada principalmente nas florestas Ombrófila Mista e Estacional Semidecidual, nos planaltos Central e Norte e região Oeste.

Principais componentes bioativos das folhas:

Friedelina, friedelanol, quercetina, campferol, ilicifolinosídeos, maitensinóides, ácidos clorogênico, maitenóico, salasperônico e salicílico, d-amirina, taninos, maitenosídeos, maitensina, cangorosinas, pristimerina, friedooleananona, ilicifolina, maitenina, maitolidina, maitenoquinona, hidroximaitenina, celastrol e flavonóides. O conteúdo de fenóis totais é de 17% e de taninos é de 3%, podendo chegar a 4,6%.  O teor de substâncias tânicas é maior em folhas de plantas expostas ao sol (3,79%) do que em folhas de plantas à sombra (2,34%).

Principais atividades farmacológicas:

Antiulcerogênica, com efeito comparável à cimetidina e ranitidina. O efeito protetor persiste por um mínimo de 16 meses após a coleta da planta. O efeito antiulcerogênico deve-se principalmente aos triterpenos friedelina e friedelanol e taninos. Os extratos inibem a secreção gástrica e incrementam o pH. O tratamento de voluntários humanos, portadores de úlceras e dispepsia, com liofilizados de abafados das folhas de espinheira-santa (200mg, duas vezes ao dia), revelou uma completa recuperação em 28 dias, estatisticamente superior ao grupo que não recebeu o tratamento com a planta. Apresenta ainda ação antineoplásica, antitumoral e citotóxica, principalmente em linfomas e tumores ovarianos, atribuídos principalmente à maitenina, pristimerina e maitensina. Liofilizados das folhas apresentaram significativa atividade antioxidante, diurética, analgésica, estrogênica, antimicrobiana e parasiticida (Tripanossoma cruzi).

Toxicologia

Os extratos da planta não demonstram efeito teratogênicos, embriotóxico e anti-espermatogênico, nem alterações morfológicas no sistema reprodutivo. A administração por via oral de infusos e liofilizados de folhas, na forma aguda, não mostrou qualquer efeito tóxico em doses de até 1.600 vezes superiores àquelas utilizadas normalmente por uma pessoa.

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “ESPINHEIRA-SANTA”

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Perguntas e respostas dos clientes

Não há nenhuma pergunta ainda, seja o primeiro a perguntar para este produto.

error: Conteúdo protegido!
1
Olá,
Como podemos ajudá-lo?
Powered by